MENU

Distrito Federal

Retorno às escolas de forma segura exige cuidados de toda a comunidade

Amarildo Mota

Publicado

em

Com o retorno das aulas 100% de forma presencial, uma série de medidas de prevenção e proteção contra a covid-19 devem ser observadas pela comunidade escolar. para criar um ambiente mais seguro a todos. Esta semana, as secretarias de Educação e de Saúde promoveram campanha para intensificar a vacinação contra a covid-19 das crianças em idade escolar.

“A vacina aumenta a proteção e diminui a chance de agravar os casos”, reforça o médico e Referência Técnica Distrital (RTD) de Terapia Intensiva Pediátrica, Sidney Cunha da Silva. Atualmente, podem ser vacinadas crianças de 5 a 11 anos. Os locais são divulgados diariamente no site da Secretaria de Saúde.

Além disso, para orientar as unidades escolares, alunos e pais/responsáveis, a Secretaria de Educação preparou um protocolo (veja abaixo) que traz os principais cuidados sanitários a serem tomados. O documento conta com informações e orientações baseadas nas diretrizes atualizadas das áreas técnicas da Secretaria de Saúde.

Fique atento às medidas para minimizar o risco de contágio:

– Uso obrigatório e permanente de máscara cobrindo nariz e boca
– Distanciamento social
– Evite tocar olhos, nariz e boca
– Faça higienização constante das mãos com água e sabão ou uso de álcool gel 70%
– Mantenha ambientes bem ventilados
– Não compartilhe objetos de uso pessoal
-Além disso, devem ser organizados os horários de entrada/saída de estudantes, intervalo e lanche de forma a evitar aglomerações.

O que fazer em caso de suspeita ou contaminação?

As unidades escolares devem realizar a vigilância ativa sobre casos suspeitos e confirmados de covid-19. Para tanto, conta com normativas da Secretaria de Saúde para orientar as condutas. Os casos suspeitos ou confirmados devem ser afastados do local de forma imediata.

Em caso de suspeita, a pessoa deve procurar uma unidade básica de saúde para avaliação clínica e permanecer em isolamento até a confirmação ou descarte do diagnóstico.

Se confirmado, o infectado precisa manter-se isolado por 10 dias, da data de início dos sintomas, desde que permaneça sem febre e sem o uso de medicamentos antitérmicos, há pelo menos 24 horas, e com remissão dos sintomas respiratórios.

Acesse as orientações de biossegurança para a retomada das atividades presenciais nas unidades escolares da rede pública de ensino do DF.

Confira o protocolo de volta às aulas das escolas privadas

Conheça a nota técnica com orientações para creches, escolas e universidades públicas e privadas.

Notificação

A instituição de ensino deve notificar a ocorrência de um caso suspeito e/ou confirmado em até 24 horas no sistema Monitora Escola. A partir disso, as equipes da Secretaria de Saúde podem acompanhar a situação.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Agência Brasília*

Fonte: Agência Brasilia

Continue lendo

Em alta