MENU

Distrito Federal

Projeto Ecoparques será debatido em audiência pública online

Amarildo Mota

Publicado

em

Na próxima segunda-feira (28), será realizada audiência pública para discutir a concessão dos serviços de tratamento mecânico biológico dos resíduos sólidos urbanos do Distrito Federal e instalação das unidades UTMB, também conhecidas como ecoparques. O evento, aberto à sociedade civil, ocorrerá das 10h às 12h, de forma virtual, com transmissão pelo canal da Secretaria de Projetos Especiais (Sepe) no YouTube.

A meta é ampliar o tratamento de resíduos sólidos urbanos no DF de 28% para 85%, com produção de biofertilizante, aumento da reciclagem e redução de material aterrado | Foto: Divulgação/Sepe-DF

Os estudos para a instalação dos ecoparques foram elaborados por meio de acordo de cooperação técnica entre a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido) e o Governo do Distrito Federal (GDF), representado pela Sepe e pelo Serviço de Limpeza Urbana (SLU). Toda a documentação está disponível no site da Sepe para consulta pública e contribuições a quaisquer interessados.

Feita no modelo parceria público-privada (PPP), a concessão dos serviços de tratamento dos resíduos sólidos urbanos do Distrito Federal será responsável pela triagem dos resíduos orgânicos, recicláveis e rejeitos a serem enviados ao aterro sanitário a partir de três unidades, instaladas na Asa Sul, Gama e P. Sul (Ceilândia).

Um dos benefícios esperados do Projeto Ecoparques é a geração de empregos e renda no DF, com criação de valor a partir dos resíduos hoje desperdiçados

A meta é ampliar o tratamento de resíduos sólidos urbanos no DF de 28% para 85%, com produção de biofertilizante, aumento da reciclagem e redução de material aterrado.

Os benefícios para sociedade e para o DF que advêm dos ecoparques são diversos e visam aos seguintes objetivos:

· Geração de empregos e renda no DF com criação de valor a partir dos resíduos hoje desperdiçados; tratamento de 100% resíduos sólidos;
· Três áreas de visitação, entretenimento, educação ambiental e capacitação;
· Inclusão social e melhoria da qualidade de vida, renda e condições de trabalho para os profissionais do setor (catadores);
· Redução drástica da emissão de poluentes; contaminantes e gases de efeito estufa em 75% no setor de resíduos, além da preservação de mananciais e da saúde da população;
· Tratamento de 80% dos resíduos sólidos urbanos do DF (20% a serem tratados no projeto de gestão do aterro sanitário);
· 800 toneladas de resíduos por dia recebidas em cada ecoparque;
· Redução do envio a aterro de 50% da quantidade atual;
· Produção de 60 mil m³/dia de biometano, que pode substituir 20 milhões de litros de diesel por ano;
· Redução da emissão de gases de efeito estufa em 20% no setor de transporte público;
· Produção de 100 mil toneladas/ano de fertilizante orgânico mineral;
· Aumento da reciclagem em três vezes;
· Geração de 600 empregos diretos e 2 mil indiretos, além de novos postos para cooperativas;
· Construção de galpões de triagem para cooperativas.

O GDF quer modernizar o sistema de gestão de resíduos do DF e reduzir a contaminação de áreas do solo, redução da emissão de gases de efeito estufa, que provocam mudanças climáticas são alguns dos muitos objetivos do projeto. A gestão Ibaneis Rocha vem atuando para sanar esses problemas, além de conscientizar e educar a população, trazer melhorias para a economia, a saúde e tornar o DF referência na gestão de resíduos.

*Com informações da Secretaria de Projetos Especiais do DF

Agência Brasília* | Edição: Rosualdo Rodrigues

Fonte: Agência Brasilia

Continue lendo

Em alta