MENU

Distrito Federal

Mais de 2 mil motociclistas treinados sobre primeiros socorros

Amarildo Mota

Publicado

em

Foi há dois meses. Na Estrada Parque Núcleo Bandeirante, próximo ao viaduto que dá acesso a Taguatinga. Naquele final de tarde chuvosa, com pista molhada e bastante óleo, um motociclista perde o controle e vai de encontro ao asfalto. Não demora e a vítima é cercada de companheiros. Um deles, Jullyanderson Felipe da Silva Ribeiro, 26 anos, abriu os braços para ajudar na sinalização da pista e chamar socorro.

Curso gratuito do Corpo de Bombeiros do DF inclui orientações sobre direção defensiva para os motocicilistas Fotos: Paulo H Carvalho/Agência Brasília

A estratégia de salvamento que adotou com agilidade na ocasião foi aprendida no treinamento de primeiros socorros e direção defensiva para motociclistas promovido pelo Corpo de Bombeiros do DF (CBMDF). Realizado desde 2015 no quartel da corporação no Guará II, a capacitação de civis e militares já formou mais de 2 mil pessoas.

“Foi de extrema importância esse treinamento. Tinha acabado de tirar a carteira e me considerava um motociclista inexperiente. Inclusive, já tinha passado por situações de risco. Precisava de orientações”, agradece Jullyanderson Felipe, que trabalha oito horas por dias em cima de uma moto.

Os interessados nas próximas aulas dos módulos – Básico, Intermediário e Avançado – devem ficar atentos às informações disponíveis no site do Corpo de Bombeiros ou pelo telefone (61) 98167-7075

“O foco principal é a direção defensiva e noções de primeiros socorros. Brasília é uma cidade movimentada, com grande fluxo de veículos, então resolvemos treinar os motociclistas. Percebemos que as primeiras pessoas a chegar ao local de acidente são eles”, explica o sargento do Grupamento de Atendimento à Emergência Pré-Hospitalar (GAEPH), do CBMDF, Wagner Luiz da Cruz Machado.

Gratuito, o curso é bastante procurado e já tem turma fechada para este mês de abril, com as 24 vagas disponíveis preenchidas. Os interessados nas próximas aulas dos módulos – Básico, Intermediário e Avançado – devem ficar atentos às informações disponíveis no site do Corpo de Bombeiros ou pelo telefone (61) 98167-7075. Cada módulo tem a duração de um dia.

Alguns requisitos são importantes, como ter moto e comparecer pessoalmente ao quartel para fazer a inscrição, portando Carteira Nacional de Habilitação. Ao todo, 18 militares ajudam no treinamento. “É importante que cada um dos participantes esteja habilitado e leve sua moto, que não precisa, necessariamente, estar no nome do aluno”, avisa o sargento Wagner.

“Um minuto esperando socorro é muita coisa, daí a importância das motocicletas de resgates, que têm tempo de resposta de três minutos”, afirma o sargento Wagner Machado

Tempo que vale ouro

Desde 2009 que o CBMDF adota as motocicletas de resgates para atender as vítimas de acidente no dia a dia. Só em 2021, por exemplo, foram 1.045 atendimentos feitos pela corporação, que conta atualmente com 42 motocicletas, sendo 20 delas exclusivas para o treinamento.

Este ano, já foram mais de 100 casos. Os militares que participam das orientações precisam ter na bagagem, pelo menos, dois pré-requisitos importantes: saber pilotar moto e ter curso na área de atendimento pré-hospitalar.

As motocicletas de resgastes são ferramentas importantes para furar o bloqueio de um trânsito carregado e bastante congestionado em casos de acidente. Um trabalho que conta também com a ajuda de civis preparados, a exemplo do jovem motociclista Jullyanderson.

“Um minuto esperando socorro é muita coisa, daí a importância das motocicletas de resgates, que têm tempo de resposta de três minutos. Em caso de parada cardíaca ou parada respiratória, por exemplo, são minutos valiosos”, observa o sargento Wagner. “Antes, os treinamentos eram direcionados apenas para militares. Depois que a gente abriu para o público externo, ensinando as pessoas, diminuiu nosso trabalho”, avalia o militar.

Entre as recomendações dadas pelos bombeiros do GAEPH é que só em casos raríssimos se deve tirar o capacete de um acidentado. O mesmo vale para a remoção da vítima do local do acidente. Noções de como pilotar as motos pelas vias também fazem parte do treinamento.

“Remover o capacete só em casos extremos, quando houver secreção ou notar que se a vítima continuar com esse utensílio pode piorar sua situação. Por isso a importância desse treinamento, que permite avaliar situações como essa”, destaca o sargento Wagner. “Após fazer o curso, me senti mais preparado para circular pela cidade. Tudo que aprendi nesse treinamento aplico no meu dia a dia no trânsito”, afirma o motociclista Jullyanderson.

Serviço
Treinamento gratuito de primeiros socorros e direção defensiva para motociclistas do Corpo de Bombeiros do DF
– Informações sobre a ação no site no site do Corpo de Bombeiros ou pelo telefone funcional: (61) 9 8167-7075
– Ação ocorre no Grupamento de Atendimento à Emergência Pré-Hospitalar (GAEPH), do CBMDF, localizado no Polo de Modas do Guará II

Mais de 2 mil motociclistas treinados sobre primeiros socorros

Fonte: Agência Brasilia

Continue lendo

Em alta